Marcadores

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Homem-Foguete e os heróis voadores da Republic Pictures


Jetpack ou propulsor a jato é um artefato preso às costas de alguém e assim permitindo que ele voe. O tema é explorado desde os anos 20, tendo Buck Rogers, um personagem surgido originalmente nos pulps e transportado para os quadrinhos, como o seu principal representante.  Até mesmo James Bond usou um em Thunderball (No Brasil, 007 contra a Chantagem Atômica, de 1965).  Embora fosse visto como ficção, testes de jetpacks existem desde os anos 60, sobretudo nas viagens espaciais. 



O Homem Foguete (Rocket Man) é o herói do seriado cinematográfico King of the Rocket Men, lançado em 1949 pela Republic Pictures. O personagem serviu de inspiração para outros heróis que usam jetpacks. O seriado, com doze episódios mostra o cientista Jeff King (Tristram Coffin) usando o propulsor criado por Dr Millard (James Craven) para combater o misterioso Dr. Vulcan. O estúdio não teve dificuldades em realizar as cenas de voo, uma vez que já havia produzido o seriado Adventures of Captain Marvel (1941), onde tais efeitos especiais foram usados. 



Em 1951, King of the Rocket Men foi editado como um longa-metragem e recebeu o título Lost Planet Airmen.




Em janeiro 1952, o estúdio lança Radar Men from Moon, onde recicla o conceito do Homem-Foguete com temas comuns da década: invasões alienígenas e energia atômica. Esse seriado foi a primeira aparição do Commando Cody, interpretado por George Wallace. Foram reutilizadas as cenas de voo de King of the Rocket Men, além de também serem aproveitadas as cenas Marte invade a Terra (The Purple Monster Strikes, de 1945). Além disso, o ator Roy Barcroft,  que havia interpretado o Purple Monster na produção, fez o papel do ditador lunar Retik. Para que reutilizassem suas cenas, o ator usou a mesma roupa do seriado anterior - a única diferença, é que em The Purple Monster Strikes, Barcroft interpretava um marciano. Em julho do mesmo ano, é lançado outro seriado Zombies of the Stratosphere, que inicialmente, seria um outro seriado protagonizado por Commando Cody, no meio da produção, o herói foi mudado para Larry Martin, interpretado por Judd Holdren, que havia estrelado o seriado da Columbia, Captain Video: Master of the Stratosphere (1951), que era baseado na série de televisão Captain Video and His Video Rangers (1949-1953), foi o único seriado para cinema baseado em uma série de televisão. A trama de Zombies of the Stratosphere é parecida com a de Radar Men from Moon.  Os seres lunares são substituídos por marcianos e  o seriado usa cenas de King of the Rocketman, Undersea Kingdom (1936) e Mysterious Doctor Satan (1940). Leonard Nimoy, que anos depois ficaria conhecido como o vulcano Sr. Spock de Star Trek, interpreta o marciano Narab.







Em 1953, é lançado Commando Cody: Sky Marshal of the Universe. Apesar de ter sido concebido como uma série de televisão, o seriado acabou sendo exibido nos cinemas.  Os atores Judd Holdren e Aline Towne, que estrelaram Zombies of the Stratosphere, também foram os atores principais dessa produção, que foi produzida ao mesmo tempo. 

Na história, Commando Cody é um militar, tendo a patente de marechal-do-ar (o sky marshal) do título) e dito que seu nome é na verdade uma identidade secreta, quando não estão usando o traje, ele usa roupas militares e uma máscara preta. Há mais ações no espaço do que as séries anteriores, algo que também foi visto em Captain Video and His Video Rangers.


Por não ter sido criada para os cinemas, muitos fãs e pesquisadores não o consideram como um seriado cinematográfico (em inglês, film serial ou movie serial). Outro motivo é por não usar clifhangers ou ganchos, as cenas de suspense que fechavam os episódios e eram concluídas nos episódios seguintes.  Curiosamente, os cliffhangers não eram usados nos primeiros seriados mudos lançados em 1908 e 1909 pelo estúdio francês Société Française des Films Éclair. O primeiro seriado a usar o recurso foi The Adventures of Kathlyn de 1913.  Aos poucos, outros estúdios passaram a usar o recurso, e  já na década de 30, a era dos Filmes B (filmes de baixo orçamento exibidos em sessão dupla com os filmes A, de grande orçamento), todos os seriados o usavam. No mesmo ano Judd Holdren estrelou outro seriado da Columbia, The Lost Planet, que apesar de utilizar elementos de Captain Video, não é uma sequencia do mesmo, a Columbia usou a mesma estratégia da Republic em reutilizar elementos.


Em 1955, Commando Cody: Sky Marshal of the Universe foi editado para a televisão, com os episódios tendo sua duração reduzida de 30 para 25 minutos.

No Brasil, Radar Men from the Moon foi lançado em DVD como O Universal do Universo (embora esse título se refira ao seriado de 1953).


Em 1955, a Republic Pictures lançou seu último seriado, King of the Carnival, e no ano seguinte, foi a vez da Columbia Pictures lançar Blazing the Overland Trail, sendo esse o último seriado criado para os cinemas.
Em 1958, Zombies of the Stratosphere foi relançado na televisão como um longa-metragem sob o título Satan's Satellites.
Em 1961, Radar Men from the Moon também foi relançado na televisão como um longa-metragem sob o título Retik the Moon Menace.














                                                 


Em 1967, surge a banda Commander Cody and His Lost Planet Airmen, uma banda de Contry Rock que excursionou pelos gêneros Western swing, rock and roll, rockabilly, jump blues e Americana, em 1995 surge o duo nova-iorquino de power pop e rock psicodélico Zombies of the Stratosphere, há uma banda holandesa de rock instrumental, shoegaze, neo-psicodélia, kraut, space e noise rock chamada Radar Men from the Moon, seu primeiro álbum, Intergalactic Dada & Space Trombones foi lançado em 2011.





Em 1979, o filme  paródia J-Men Forever utilizou trechos dos seriados da Republic: Radar Men from the Moon, Capitão América, Adventures of Captain Marvel e Spy Smasher.

Em 1982, o quadrinista Dave Stevens lançou o personagem The Rocketeer. Stevens afirmou ser fã dos seriados do Commando Cody e se baseou em vários elementos retro.  Na série, ambientada inicialmente em 1938,  o piloto acrobático Cliff Secord encontra um jetpack e passa atuar como um herói, inclusive combatendo nazistas, Cliff namora a pin-up Betty, Betty foi inspirada em uma modelo da vida real, Bettie Page, que atuou na década de 1950 e que em 1938 teria apenas 15 anos de idade, na história, o jetpack foi criado por Doc Savage, embora o autor não o nomeie para não infringir os direitos autorais. Inicialmente, pensava-se que o artefato teria sido criado por Howard Hughes, um personagem real, Hughes foi um piloto, engenheiro e milionário.  

No Brasil, Rocketeer foi publicado pela Editora Abril em Graphic Novel 12 (1989) e num encadernado pela  HQM Editora em maio de 2016.









Em 1988, a produtora Cinemaware lança Rocket Ranger, um jogo para várias plataformas que guarda semelhanças com Rocketeer. No jogo, Tom Cory, o Rocket Ranger, usa artefatos de um futuro alternativo, onde os nazistas venceram a Segunda Guerra Mundial, para combater nazistas na década de 40, na Alemanha. O jogo sofreu alterações e os nazistas foram substituídos por alienígenas. O mesmo ocorreu na versão do jogo para NES (ou Nintendinho, como ficou conhecido no Brasil).




Rocketeer e Rocket Ranger, são um tipo de ficção retro-futurista ambientada nas décadas de 1930 e 1940, chamada de “dieselpunk, termo criado pelo game designer Lewis Pollak no RPG de mesa Children of the Sun (2002)”.  O sufixo punk vem de cyberpunk, um gênero de ficção futurista e pessimista. O termo se popularizou graças ao editor de ficção científica Gardner Dozois, a partir do início da década de 1980. 


Em 1989, trechos de Radar Man from Mars foram utilizados na série de comédia Mystery Science Theater 3000. Na trama, um homem e dois robôs presos em um satélite no espaço são obrigados a assistir filmes B e seriados e fazem comentários o tempo todo sobre o que estão vendo na tela. A série não foi exibida no Brasil, porém o filme Mystery Science Theater 3000: The Movie, de 1996 foi lançado com o título O Filme Mais Idiota do Mundo.







Em 1991, a Walt Disney lança um adaptação cinematográfica de Rocketeer estrelada por Billy Campbell no papel principal e dirigido por Joe Johnson, que havia iniciado a carreira nos filmes de Star Wars  produzindo efeitos especiais e como diretor de arte. O filme traz diferenças, a namorada de Cliff é Jenny, uma aspirante a atriz interpretada por Jennifer Connelly, Howard Hughes é o verdadeiro criador do jetpack e é interpretado por Terry O'Quinn (o Locke da série de televisão Lost), o roteirista Peter David adaptou o filme em um romance e para os quadrinhos (com ilustrações de Russ Heath).  Bastante requisitado, David trabalhou para Disney em outras adaptações: Epic Mickey, Pequena Sereia e John Carter.




Confira as postagens sobre Rocketeer no blog HQ Quadrinhos

Ainda em 1991, possivelmente por causa do anúncio de Rocketeer nos cinemas, tanto King of the Rocketman, quanto Rocket Ranger ganham adaptações em quadrinhos. O primeiro pela editora Innovation, escrita e desenhada por Christopher Moeller e o segundo pela Malibu Comics (uma editora que anos depois seria comprada pela Marvel), escrita por Roland Mann e ilustrada por Khato.






Em 2003, Connelly interpretou Betty Ross, a namorada de outro herói surgido nos quadrinhos Bruce Banner/Hulk, em filme dirigido por Ang Lee, em 2011. Johnson dirigiu Capitão América: O Primeiro Vingador, ambientado na Segunda Guerra Mundial. Nesse filme aparece Howard Stark, um inventor que trabalha para o governo, criado em 1970 por Archie Goodwin e Don Heck. Howard Stark é pai do Homem de Ferro, Tony Stark, criado em 1963 por Stan Lee, seu irmão Larry Lieber e os desenhistas Don Heck e Jack Kirby. Lee também havia se inspirado em Howard Hughes, dando a seu personagem as características de inventor, milionário e playboy.



Na quinta temporada de Star Trek Voyager, lançada em 1998, surge uma homenagem ao Commando Cody: a série metaficional The Adventures of Captain Proton, criada e interpretada por Tom Paris (Robert Duncan McNeill) para o ambiente de realidade virtual com hologramas chamado de holodeck. O holodeck, embora seja associado a séries Nova Geração e Voyager, tem o seu o conceito originalmente aparecendo na série animada de Star Trek da Filmation (1973-1974).

O confira matérias sobre o Capitão Próton no blog Laboratório Espacial e no TV Tropes.

George Lucas também se declarou fã do Commando Cody.  Além de ter criado personagens que usam jetpack como Boba Fett e Jango Fett, além de um clone de Jango Fett chamado Commander Cody, que também possui um jetpack. Curiosamente, a primeira versão do concept de Boba Fett foi feita por Joe Johnson, posteriormente aperfeiçoada por Ralph McQuarrie.














Em 2010, a Moonstone Books lança um nova mini-série em quadrinhos baseada em King of the Rocket Man, a trama mostra um novo Rocket Man, Billy Callahan.  A série foi escrita por James Kuhoric  e Shannon Denton e ilustrada por Hannibal King e Amin Amat.
Em 2014, a Cinemaware lançou um projeto de revitalização de Rocket Ranger na plataforma de financiamento coletivo Kickstarter e no mesmo ano, a fabricante de action figures Go Hero em parceria com a Phicen, lançou Rocketman (George Wallace),  embora Wallace tenha interpretado o Commando Cody e não o Rocket Man.

O produtor John Semper, Jr., responsável pela série animada do Homem-Aranha nos anos 90, colocou um projeto de série de animação em financiamento coletivo inspirado nos heróis da Republic: War of the Rocketmen, que arrecadou US$17.655,00.


















Um comentário: